quinta-feira, 31 de maio de 2012

Não ser e ser.

Não sou uma cabra indomável, nem uma romântica incurável; Mas comigo também não brincam, e também gosto de abraços. Também não sou arrogante, não tenho cara de mal disposta; sou simpática quando assim entendo. Há quem me diga um mistério, há quem me diga transparente como água. Não trato mal ninguém, mas sei maltratar. Odeio violência, mas em caso extremo sou a primeira a gritar.

(...)

Levas que tempos para me irritar. Mas cuidado quando o fizeres, eu não sou nada, mas eu sou tudo. E sou fodida quando quero.
Também não penses, não penses muito no que digo. Sou sarcástica, e ponho-te o cérebro num 8 com tanto trocadilho. Mas sou sincera, sou sensível a más palavras e acções, não é difícil que me atinjas; só não irás entender (logo). 

(...)

O que tem cara de sacana pode ser o mais fiel. O que em cara de ladrão será também o mais honesto. O que mais sorri pode ser o que menos confia. O mais trombudo pode ser o mais feliz. O mais arrogante pode ser o mais sensível. O mais isto, será o oposto. And so on, and so on.
Julgar alguém pela aparência pode ser tão feio. Partir de pressupostos pode dar tanta asneira.

 
Café, cigarro & Massive Attack



Como alguém diz...
Há uma linha que separa a minha vida

______________________________________________________________


Da tua opinião



Estás a anos luz.

Sou para ti, o que és para mim. Em cada acção que tiveres.


A desejar noites serenas a quem está desse lado, e a agradecer.

 X.o.x.o
Dorothy 

10 comentários:

  1. Neste caso, referindo-me a comentários, aqui estou eu a ser para ti aquilo que foste para mim. Foste minha comentadora, hoje sou-o eu para ti. :P
    Concordo com a ideia geral deste teu post. Quem vê caras não vê corações; as aparências iludem; todos nós, sem excepção, somos seres duais, capazes de ser e não ser isto ou aquilo, consoante o nosso estado de espírito e consoante o tipo de situação e/ou pessoa com que nos deparamos.
    Beijinho. Shhh , isto é segredo, não reveles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui tua comentadora com todo o gosto. Sou seguidora assídua, estava na hora de deixar uma pegada no teu cantinho.
      Quanto ao que me dizes, somos seres duais sim senhora, e a maior prova disso é o que ali disse e também disse no post sobre Lisboa - Sou mais um ser formatado aparentemente, e ninguém imagina que na minha correria para o metro e para o comboio, vou totalmente aérea e feliz a pensar na vida. Posso ir a explodir de felicidade, que a minha cara será sempre de quem vai com vontade de matar alguém...
      Por isso, somos duais, e ninguém sabe até que horas de conversa tenham passado...

      Obrigada por todas as opiniões que deixaste aqui, e espero que gostes de aqui vir ler as minhas parvoíces.
      Beijinhooo *.*

      Eliminar
  2. Tenho uma amiga minha, que alega que "as pessoas não mudam". E credo, como discordamos neste ponto!
    Mesmo quando lhe apresento casos de pessoas que ambos conhecemos, ela diz que "não mudaram, simplesmente estão diferentes". -.-''
    Eu, sou um forte crente nas pessoas.Acredito na sua força, nas suas potencialidades. Na sua capacidade para enorme bem, tanto como para enorme mal.
    Parece-me que este teu post se pode resumir a uma coisa: desconfiança. O espírito crítico e analítico pode, e deve, ser inspirado a dizer de sua justiça. MAS... E este é um grande "mas", não creio que devamos fechar a porta a todo o joio, quando o separamos do trigo. Pois eu, já vi pessoas, próximas, a mudar para bem pior... E pessoas, verdadeiros demónios, a mudarem para anjos.
    Omni mutantis.
    Beijinhos, Dor-othy.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peacedweller :D

      Em relação à mudança que pode ou não existir nas pessoas, eu ainda estou paraver o que será verdade.
      Há quem diga que 'Não, não mudam. Tornam-se melhores a esconder os seus defeitos'; assim como há quem diga 'Claro que mudam. Aprendemos com os erros'. Eu como te disse, ainda estou para ver qual das teorias me assenta mais à opinião...
      E sim, desconfiança. Depois de tudo... Ora bem, a gente tem medo n'é? Mas não, não fecho a porta a mudanças, confianças e oportunidades.

      Beijinhos, gô-do-co-ta-com-bi-gooOoooOoo-des (a)

      Eliminar
  3. Ora repara tu, porque sinto que este ponto não ficou claro: eu não disse que a mudança tinha de ser para melhor! Acredito que toda a gente é capaz de tudo. Melhor, pior, o mesmo, diferente. Renasço e reinvento-me, todos os dias. Por muito mau que já tenha sido, sei bem que posso vir a ser bem pior. Ou não! Eis a maravilha que é o livre arbítrio. E o quão libertador é, saber-me capaz de tudo. :-)
    Beijinhos, num-sei-a-quem-te-referes-com-tais-epítetos >.>

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ficou escarecido sim.
      Só acho que acredito em mudanças, para melhor ou pior, mas por outro lado... Porque é que só vejo mudanças reais quando são para pior, e redimir a asneira é raro que aconteça? Daí te ter dito que 'nos tornamos melhores a esconder defeitos', foi apenas um exemplo.
      E por favor, renasce e reinventa-te todos os dias, ou perdes a piada. (:P)
      Beijinhos, e-sabes-bem-ao-que-me-refiro-oh-gôdo-cota-e-mais-;-Bi-gooOOoOoOoooooOooOOo-des-lin-dooooos *.*

      Eliminar
  4. "Sou para ti o que és para mim". O lema de vida de um grande amigo com o qual nunca concordei. Não devemos ser iguais. Mas sim melhores. Se te dão uma rasteira, não devolvas nem grites. Sorri, passa por cima e mostra como é ser inantigivel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada como superar expectativas e deixar a marca de superior. Eu sou na maioria, o que são para mim, mas isto, tentando superar a minha própria pessoa a cada dia... Aprendendo com o tempo :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Outro para ti, e bem vindo ao cantinho das loucas :)

      Eliminar

Conta-me histórias tu também !